quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

General dos EUA vincula derrota da al-Qaeda à queda de Bin Laden

WASHINGTON - O comandante das forças dos EUA e da Otan no Afeganistão, general Stanley McChrystal, disse na terça-feira que a rede al-Qaeda só será derrotada quando o seu líder máximo, Osama bin Laden, for capturado ou morto.

- Não acho que possamos finalmente derrotar a al-Qaeda até que ele seja capturado ou morto - disse o general a uma comissão do Senado.

Mas ele alertou que só a queda do extremista de origem saudita não bastará para desmantelar a al-Qaeda, grupo responsável pelos atentados de 11 de setembro de 2001 nos EUA. ( Júri revisa provas contra mentor dos ataques )

No fim de semana, o secretário de Defesa Robert Gates admitiu que há anos os EUA não têm boas informações sobre o paradeiro de Bin Laden. No domingo, o assessor de Segurança Nacional da Casa Branca, James Jones, disse que possivelmente ele está na região do Waziristão do Norte, "às vezes no lado paquistanês da fronteira, às vezes no lado afegão".

McChrystal disse que a própria existência de Bin Laden alimenta o extremismo globalmente.

- Acredito que ele seja uma figura icônica a esta altura, cuja sobrevivência encarna a al-Qaeda como uma organização de franquia no mundo todo - afirmou.

Na mesma sessão da comissão, o embaixador dos EUA no Afeganistão, Karl Eikenberry, afirmou ser "importante para o povo americano -na verdade, para o povo do mundo- que um dia Osama bin Laden seja capturado ou morto, levado à Justiça."

A Comissão de Relações Exteriores do Senado divulgou no final de novembro um relatório que culpava a falta de esforços conjuntos do governo de George W. Bush e do comando militar por permitir que Bin Laden escapasse das cavernas de Tora Bora, no Afeganistão, no final de 2001.

Fonte: O Globo

Visitantes de todos os lugares

Fernando