sexta-feira, 12 de julho de 2013

PSICOLOGIA DA APRENDIZAGEM

Contribuições da Psicologia para a Educação.
A psicologia é a ciência que estuda o comportamento humano e seus processos mentais, ou seja, ela estuda o que motiva o comportamento humano, o que o sustenta, o que o finaliza, e os processos como: Sensação, emoção, percepção, aprendizagem, inteligência.
A psicologia encontra-se, como uma das disciplinas que precisa ajudar o professor a desenvolver conhecimento e habilidades, além de competências, atitudes e valores que o possibilite ir construindo seus saberes-fazeres docentes, a partir das necessidades e desafios que o ensino, como prática social, lhes coloca no cotidiano. Dessa forma, a psicologia poderá contribuir para que o professor desenvolva a capacidade de investigar a própria atividade, para, a partir dela, construir e transformar os seus métodos docentes, num processo contínuo de construção de sua identidade como professor e de construção da identidade do aluno, ajudando, assim, a formar um novo cidadão.
Ao transmitir o conhecimento para os alunos o professor desempenhará também a função de formador da personalidade de seus alunos no processo de aprendizagem, pois o aluno por sua vez é um sujeito ativo de seu processo de formação e desenvolvimento intelectual, afetivo e social; e o professor tem o papel de mediador do processo de formação do aluno; a mediação própria do trabalho do professor
é favorecer a inter-relação entre sujeito (aluno) e o objeto de seu conhecimento(conteúdo escolar); nessa mediação, o saber do aluno é uma dimensão importante do seu processo de conhecimento.
Pode-se perceber que não há uma concepção única dessa proposta.
A perspectiva sócio-construtivista concebe o ensino como uma intervenção intencional nos processos intelectuais, sociais e afetivos do aluno, buscando sua relação consciente e ativa com os objetos de conhecimento. Esse entendimento implica, resumidamente, afirmar que o objetivo maior do ensino é a construção do conhecimento pelo aluno, de modo que todas as ações devem estar voltadas para sua eficácia do ponto de vista dos resultados no conhecimento e desenvolvimento do aluno. Tais ações devem pôr o aluno, sujeito do processo, em atividade diante do meio externo, no qual deve ser ‘inserido’ no processo como objeto de conhecimento, ou seja, o aluno deve ter com esse meio   uma relação ativa, uma espécie de desafio que o leve a um desejo de conhecê-lo.
Partindo da visão da personalidade como constituída com base em um processo relacional, que portanto se forma também nas relações dentro da escola.
Percebe-se então que, dessa maneira a aliança entre Educação e Psicologia é incontestável e bastante antiga, e contribui para buscar respostas sobre como se aprende, quem é o sujeito da aprendizagem, como se deve ensinar, levando em conta as características psicológicas dos alunos, se é ou não válido aplicar punições e prêmios, qual é a importância da informação no desenvolvimento
humano, em que consiste o ato de comunicação, o que interessa e dá prazer ao aluno quanto ao aprendizado escolar.

A teoria verbal significativa da aprendizagem.
Aprendizagem Significativa, processo através do qual uma nova informação se relaciona com um aspecto relevante da estrutura de conhecimento indivíduo.
Condições para a ocorrência, material potencialmente significativo e disposição para aprender.
Proposta inicialmente por Ausubel, a teoria em pauta trata de distanciar-se do comportamentalismo quando destaca a importância do conhecimento consciente do aprendiz (posicionamento cognitivista) onde a modificação característica da aprendizagem não se produz mecânica e universalmente por indução externa, como afirma o comportamentalismo, e sim por uma indução interna, pela intenção consciente de conhecer do sujeito, o qual opera seus processos mentais de forma metacognitiva, elaborando e reelaborando estratégias, a partir do relacionamento entre os diferentes conceitos já construídos visando a novos conceitos (aprendizagem significativa.
É necessário destacar que Ausubel assinala como um fato importante que toda a aprendizagem significativa implica uma inter-relação entre a estrutura cognitiva prévia: o conhecimento que o aluno á tem e o material de aprendizagem que ele deve aprender, isto é, o conteúdo do ensino; assim, ocorre uma modificação por interação de ambos os elementos: do já aprendido e do novo.
O conceito e a relevância desses instrumentos serão tratados no decorrer deste texto.
Novak (1980, p. 61) salienta que a aprendizagem significativa apresenta quatro grandes vantagens sobre a aprendizagem por memorização ou mecânica:
·Os conhecimentos adquiridos significativamente ficam retidos por um período maior de tempo.
·As informações assimiladas resultam num aumento da diferenciação das idéias que serviram de âncoras, aumentando, assim, a capacidade de uma maior facilitação da subseqüente aprendizagem de materiais relacionados.
·As informações que não são recordadas (são esquecidas), após ter ocorrido a assimilação, ainda deixam um efeito residual no conceito assimilado e, na verdade, em todo o quadro de conceitos relacionados.
·As informações apreendidas significativamente podem ser aplicadas numa enorme variedade de novos problemas e contextos.
Teoria Genética da aprendizagem
É a teoria desenvolvida por Piaget, e consiste numa síntese das teorias então existentes ,apriorismo e o empirismo. Piaget não acredita que o conhecimento seja inerente ao próprio sujeito, como postula o apriorismo, nem que o conhecimento provenha totalmente das observações do meio que o cerca, como postula o empirismo.
Para Piaget, o conhecimento é gerado através de uma interação do sujeito com seu meio, a partir de estruturas existentes no sujeito. Assim sendo, a aquisição de conhecimentos depende tanto das estruturas do sujeito como de sua relação com os objetos. Durante sessenta anos, Jean Piaget coordenou projetos de pesquisas, que deram base à compreensão contemporânea do desenvolvimento infantil.
É  uma teoria de etapas, uma teoria que pressupõe que os seres humanos passam por uma série de mudanças ordenadas e previsíveis.
O comportamento dos seres vivos não é inato, nem resultado de condicionamentos. Para ele o comportamento é construído numa interação entre o meio e o indivíduo. Esta teoria epistemológica (epistemo= conhecimento; elogia= estudo) é caracterizada como interacionista. A inteligência do indivíduo, como adaptação a situações novas, portanto, está relacionada com a complexidade desta interação do indivíduo com o meio. Em outras palavras, quanto mais complexa for esta interação, mais “inteligente” será o indivíduo. As teorias piagetianas abrem campo de estudo não somente para a psicologia do desenvolvimento, mas também para a sociologia e para a antropologia, além de permitir que os pedagogos tracem uma metodologia baseada em suas descobertas.
Existem 2 aspetos principais nesta teoria:
1- O processo de conhecer;
2- Os estádios etapas pelos quais nós passamos à medida que adquirimos essa habilidade.

Teoria sociocultural da Aprendizagem e do Ensino
Desenvolvimento cognitivo é limitado a um determinado potencial para cada intervalo de idade (ZPD); o indivíduo deve estar inserido em um grupo social e aprende o que seu grupo produz; o conhecimento surge primeiro no grupo, para só depois ser interiorizado. A aprendizagem ocorre no relacionamento do aluno com o professor e com outros alunos.
Vygotsky foi o principal expoente da Teoria Sociocultural que enfatiza o papel da interação social no desenvolvimento do homem. Esta teoria concentra-se na relação causal entre a influência social do indivíduo e o seu desenvolvimento cognitivo. Ou seja, o conhecimento é construído nas interacções dos sujeitos com o meio e com outros indivíduos, e são estas interacções as principais promotoras da aprendizagem. De acordo Vygotsky , o ser humano é um ser social, que constrói sua individualidade a partir das interacções que estabelece entre com outros indivíduos, mediadas pelos padrões da cultura vigente. O desenvolvimento e aprendizagem são processos activos, no qual existem acções intencionais mediadas por várias ferramentas. A mais importante dessas ferramentas é a comunicação, mais propriamente a linguagem, está na base do intelecto humano. Todas as outras funções superiores do intelecto desenvolvem se a partir da influência social com base na linguagem. Assim, a inteligência tem origem social e a aprendizagem acontece através de socialização, de forma interpsíquica, para posteriormente haver a construção intrapsíquica. Assim, para que ocorra a aprendizagem, há a necessidade de uma interacção entre duas ou mais pessoas, cooperando em actividades, possibilitando uma reelaboração intrapessoal. Torna-se então necessário definir o conceito de Zona de Desenvolvimento Proximal de Vygotsky, que consiste na distância entre o nível de desenvolvimento real, que se costuma determinar através da solução de problemas, e o nível de desenvolvimento potencial, determinado através da solução de problemas sob a orientação de um adulto ou em colaboração com companheiros mais capazes.





    Teorias
Psicologia
Aspectos Conceituais
 Contribuições para o Âmbito
Educacional



Teoria Verbal Significativa






*Significado interação e conhecimento
*Aprendizagem com Significados,novos conhecimentos
*Estrutura Cognitiva
*Interação do novo conhecimento,com o já existente,o que aluno já possui.
*Aprendizagem significativa ocorre quando a informação é  ancorada no conceito pré existente na estrutura cognitiva do aluno.


Teoria Genética da
 Aprendizagem





*Conhecimento gerado através de uma interação do sujeito com o meio.
*Desenvolvimento Humano passa por desenvolvimentos no decorrer das fases.
*Para que ocorra a construção de um novo conhecimento, é preciso com o contato já prepara do passe por um processo de desorganização para que em contato como o novo conhecimento possa se reorganizar.
*Estágios do desenvolvimento: Sensório motor(do nascimento aos 02 anos)-Pré Operatório(02 á 06 anos)-Operatório Concreto(07 á 11 anos) -Operatório Formal(11 á 16 anos).



Teoria Sociocultural

*As mudanças que ocorrem em cada um de nós, tem sua raiz na cultura e na sociedade.
*A relação do professor e aluno
*A Educação é vista como processo social.
*A aprendizagem sempre inclui
relações entre pessoas.

Teorias de aspectos conceituais e contribuições para educação.
Teoria verbal significativa - Aprendizagem com significado, novos conhecimentos (conceitos, idéias, modelos) - Interação do novo conhecimento com o já existente, conhecimentos que o aluno já possui, ou seja, a aprendizagem significativa ocorre quando a informação é ancorada no conceito preexistente na estrutura cognitiva do aprendiz. O processo é dinâmico e vai sendo construído, interação do novo conhecimento com o já existente, conhecimentos que o aluno já possui, ou seja, a aprendizagem significativa ocorre quando a informação é ancorada no conceito preexistente na estrutura cognitiva do aprendiz, o processo é dinâmico e vai sendo construído.
Teoria genética da aprendizagem - Desenvolvida por Piaget, o conhecimento é construído através da interação do sujeito com seu meio, a partir de estruturas existentes. Assim sendo, a aquisição de conhecimentos depende tanto das estruturas cognitivas do sujeito como da relação dele, sujeito, com o objeto, a idéia central da teoria de Piaget é a de que o conhecimento não procede nem da experiência única dos objetos, nem de uma ampla programação inata, pré-formada no sujeito, embora sua teoria baseie-se na existência de alguns elementos inatos, mas de construções sucessivas com elaborações constantes de estruturas novas, as quais são resultantes da relação sujeito x objeto, onde um dos termos não se opõe ao outro, mas se solidarizam, formando um todo único. O cientista suíço revolucionou o modo de encarar a educação de crianças ao mostrar que elas não pensam como os adultos. As teorias de Piaget demonstraram que a transmissão de conhecimentos é uma possibilidade limitada. Por um lado, não se pode fazer uma criança aprender o que ela ainda não tem condições de absorver. Por outro, mesmo tendo essas condições, não vai se interessar a não ser por conteúdos que lhe façam falta em termos cognitivos. Com Piaget, ficou claro que as crianças não raciocinam como os adultos e apenas gradualmente se inserem nas regras, valores e símbolos da maturidade psicológica. Essa inserção se dá mediante dois mecanismos: assimilação e acomodação. A obra de Piaget leva à conclusão de que o trabalho de educar crianças não se refere tanto à transmissão de conteúdos quanto a favorecer a atividade mental do aluno.
Teoria sócio cultural - Desenvolvida por Vygotsky, as mudanças que ocorrem em cada um de nós têm sua raiz na sociedade e na cultura, o processo de desenvolvimento se dá de fora para dentro, a relação professor- aluno. A aprendizagem sempre inclui relações entre as pessoas, pois não há um desenvolvimento pronto e previsto dentro de nós, ele se atualiza conforme o tempo passa e recebemos influências externas, sempre visando a autonomia do aluno.-A criança tem potencialidade para aprender e o que faz com a ajuda dos outros e autonomia, que pode fazer sozinho. O papel do educador – seja exercido por professores, pai, pelas gerações mais velhas, pelas crianças mais experientes – é importante, porque estes são os mediadores da relação da criança com o mundo que ela irá aprender. Os objetos da cultura só fazem sentidos quando aprendemos o seu uso social. Só pode ensinar quem conhece o uso social do objeto.
Fatores que interferem no desenvolvimento infantil:
1 - Aspectos biológicos e psicológicos da própria criança:
- tendências hereditárias (ex.: propensão a determinada doença)
- constituição física, sexo (menino ou menina)
- tipo de personalidade (ex.: introvertida/extrovertida).
2 – Família:
- Nível socioeconômico
- Religião e cultura
- Casamento/Divórcio
- Forma de comunicação entre pais e filhos.
3 – Escola:
- Professores
- Colegas
- Proposta pedagógica e metodologia de ensino
- Avaliação da aprendizagem e do comportamento.

DESENVOLVIMENTO COGNITIVO OU INTELECTUAL
O desenvolvimento cognitivo é um processo interno, mas pode ser observado e "medido" através das ações e da verbalização da criança. Dá-se de maneira contínua desde os primeiros dias. A interação com o adulto e com outras crianças é um dos principais elementos para uma adequada estimulação no espaço familiar. A família desempenha o papel de mediadora entre a criança e a sociedade, possibilitando sua socialização, elemento essencial para o desenvolvimento cognitivo. Esta permite adquirir conhecimentos e habilidades, estabelecendo relações e construindo seu próprio ambiente físico e social.
Quanto melhor a qualidade de estimulação ambiental disponível para a criança, melhor seu desempenho cognitivo. Estudos sobre associação entre estimulação ambiental e cognição concluem que mães orientadas a estimularem seus bebês, por meio de uma variedade de experiências perceptivas com pessoas, objetos e símbolos, contribuem para o desenvolvimento cognitivo das crianças, observando-se como conseqüências positivas em longo prazo.
DESENVOLVIMENTO EMOCIONAL
Nesta fase a criança tem consciência do "eu". Se suas necessidades, quando manifestadas, forem satisfeitas desenvolve-se o sentimento de confiança básica, favorecendo a aquisição da noção de causalidade e temporalidade. Tem condições de confiar no adulto mesmo quando este não estiver presente.
O ambiente é fundamental para o desenvolvimento infantil e a mãe exerce um importante papel nos momentos iniciais. Inicialmente, o bebê encontra-se em estado de dependência
absoluta dos cuidados maternos, correspondendo, aproximadamente, aos quatro primeiros meses em que a criança está em fusão com sua mãe
Alguns aspectos negativos para o desenvolvimento de uma personalidade segura, como:
- pais impacientes, hostis, que não atendem as necessidades da criança, que pode causar ansiedade, medo, sensação de isolamento e abandono.
- clima emocional instável, pode interferir durante a construção do “eu”.
DESENVOLVIMENTO SENSÓRIO-MOTOR
O processo de mudanças no comportamento motor que envolve tanto a maturação do sistema nervoso central, quanto a interação com o ambiente e os estímulos dados durante o desenvolvimento da criança. É dependente da biologia, do comportamento e do ambiente e não apenas da maturação do sistema nervoso. Quando a criança nasce, o seu SNC (Sistema Nervoso Central) ainda não está completamente desenvolvido. Ela percebe o mundo pelos sentidos e age sobre ele, criando uma interação que se modifica no decorrer do seu desenvolvimento. Deste modo, por meio de sua relação com o meio, o SNC se mantém em constante evolução, em um processo de aprendizagem que permite sua melhor adaptação ao meio em que vive.

Jogos
Atualmente vem crescendo nas escolas a utilização de jogos na metodologia e isto vem causando grande repercussão e questionamentos relacionados ao aprendizado do aluno e a vivencia da infância. Tempos passados não existia na escola a visão de que par um melhor desempenho nas diversas áreas do conhecimento a criança necessitava de diferentes estímulos.
De fato sempre à aqueles contra que questiona a até mesmo se impõem outros acreditam que as atividades lúcidas na escola ampliam o desempenho das capacidades cognitivas a das interações com a vida social, crendo que a contribuição do jogo para o desenvolvimento do ser humano de forma articulada é muito mais prazerosa e estimulante.
As atividades lúdicas, quando dirigidas pelo docente, buscam levar o aprendizado ao aluno de forma significativa, aliando a utilização das inovações tecnológicas ou dos brinquedos e brincadeiras antigas aos conteúdos e aprendizagem previstos nas grades curriculares das escolas.
Antigamente nas escolas os jogos existiam somente fora da sala de aula muitas vezes sem estímulos dos educadores e outros com estímulos e interações apenas no intervalo das aulas. Porém está visão já apresenta mudanças nos dias de hoje.
Além de serem divertidos os jogos podem ter um cunho educativo, auxiliando os alunos em muitos sentidos como na socialização, comportamento individual e coletivo entre outros elementos sendo que um dos objetivos é colocar a criança na presença de representações como campeonatos, dar a criança um substituto dos objetos reais para que possam manipulá-los assim onde estarem de frente com situações para que possam buscar resolve-las trazer soluções, assim estarem favorecendo a aprendizagem e o desenvolvimento infantil,
também estarem em uma troca de informações fazendo com que adquiram desenvolvimento cognitivo onde a criança vai se desenvolvendo e aprendendo a partir do momento em que entra em contato com o mundo através da manipulação de objetos concretos em que ela vai formando conceitos como: encima, embaixo, longe perto.
A partir   deste item caberá o professor interar-se dos jogos utilizando-os como ferramentas para o ensino então detectar, no desempenho do aluno qual será o jogo adequado para a aprendizagem conjunta, no que ira favorecer no desenvolvimento e crescimento que se espera da criança. 
Também é fundamental criatividade de jogos para serem utilizados   com portadores de necessidades especiais (DM) deficiência mental   as atividades devem serem usadas para o domínio e a generalização dos conceitos treinados   também sendo de extrema importância o ensino educativo.Além de serem divertidos, os jogos podem ter um cunho educativo, suas atividades auxiliam os alunos em muitos sentidos. Também haverá diante de novas habilidades adquiridas pela criança através do acesso a jogos e avanços tecnológico. Ficará como uma função da escola saber dominar e contornar essas habilidades. Ensinando os alunos a usarem com inteligência, pois a tecnologia no cotidiano escolar parece nos irreversível, portanto o professor deverá explorar, competências desconhecidas ou ignoradas na pratica educativa.
Entretanto fica claro a contribuição que o jogo trás para o desenvolvimento da criança que necessita de algo concreto que facilite o contato com o outro e com a realidade a que pertence. Diante desse conceito, fica claro a necessidade de uma preocupação melhor dos professores e das escolas com relação aos jogos a as tecnologias, que vem com um leque imenso de jogos educativos a favor do aluno. O professor bem preparado em primeiro lugar estará desempenhando melhor seu trabalho seu papel de mediador da aprendizagem significativa e motivadora: e em segundo lugar estará ajudando o aluno em suas dificuldades especificas para serem superadas
Cincos jogos interativos

JOGO DESCRIÇÃO
Faixa etária a que se destina
Material necessário
Regras do Jogo
Formas de participação Desenvolvimento Cognitivo-socio-motor Contribuição para âmbito educacional |Jogo de Matemática | Para a aprendizagem da matemática, foi produzido um software educativo, ou pode ser confeccionado em cartolina na qual o aluno encontra uma trilha, sendo que o objetivo principal é percorrer o caminho da trilha para chegar na saída. Para conseguir o objetivo, o aluno deve responder algumas perguntas relacionadas aos conteúdos de matemática. Estas perguntas podem ser cadastradas e selecionadas pelo professor através de um banco de dados, conforme a faixa etária das se for pelo software ao terminar o jogo o software gera um relatório apontando quais as questões que o aluno acertou e quais as que ele apresentou maior dificuldade. Desta forma o professor consegue fazer um acompanhamento de cada aluno, percebendo quais são as questões referentes a matemática que precisarão ser retomadas em sala de aula.varia de 1° a 4° serie | Trabalhar a coordenação motora, percepção visual, raciocínio lógico matemáticos memória Auxílio ao aprendizado de Matemática, Português e Ciências Desenvolver o raciocínio lógico.
Jogo da memória | Faixa etária de 4 a 9 anos
Precisará de Pedaços de cartolinas para montar as cartas do jogo. Cada criança por vez terá apenas uma chance de escolher a duas cartas para formar os pares, poderá ser feito em grupos Para alfabetização poderá ser feito com desenhos com as vogais etc. | Trabalhar a percepção visual, Raciocínio e a  memória |
jogo educacional em inglês | Faixa etária de 1° a 3° serie. Associar desenhos a nomes em inglês | Testando a aprendizagem e proporcionando conhecimento |
Bingo | Faixa etária de 3° e 4° serie A professora terá de elabora   cartelas será feito com perguntas e respostas ela sorteará as perguntas e o aluno terá de encontrar respostas nas suas cartelas contendo  Testar a aprendizagem
Jogo da memória De 5 a 9 anos Poderá estar utilizando as tecnologias da escola como o computador. Testar a memória dos alunos.

Bibliografia
Significado e sentido na aprendizagem escolar: reflexões em torno do conceito de aprendizagem significativa.
Disponível em: https://docs.google.com/viewer?a=v&pid=explorer&chrome=true&srcid=0B_iQ
RJWKpWlZDI0OTFkZWEtMzM5MS00YTljLTkwNzctOWE0NTdjNzQ5YTI1&
hl=pt_BR
Acesso em: 30 jun. 2013.

DIAS, Alessandra P.; COSTA, Andréa A. A perspectiva do jogo em sala de aula: uma análise psicopedagógica. Disponível em:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sugestões, Críticas ou Elogios.

Visitantes de todos os lugares

Fernando