quinta-feira, 15 de julho de 2010

Microsoft e Nasa lançam serviço que permite passeios interativos por Marte


A Microsoft Research e a Nasa, a agência espacial americana, lançaram uma nova experiência para os usuários do WorldWide Telescope (WWT), serviço que permite explorar o Sistema Solar virtualmente.

A novidade é o WWT-Mars Experience, que permite fazer passeios interativos por Marte, ouvindo comentários de cientistas e explorando o planeta por meio de imagens de alta resolução.

Trata-se de um resultado do trabalho que vem sendo conduzido desde o início de 2009 pela Microsoft Research, em parceria com cientistas de diversos países. O objetivo é encontrar formas criativas e eficientes de empregar as imagens obtidas pelas missões da Nasa, tornando-as acessíveis ao público em geral.

“Quisemos tornar mais fácil para pessoas de todos os lugares, inclusive cientistas, o acesso a essas imagens únicas. Por meio do WWT, fomos capazes de construir uma interface para o usuário que permite usufruir desse conteúdo valioso”, disse Dan Fay, diretor de iniciativas para Terra, Energia e Meio Ambiente da Microsoft Research.

O WorldWide Telescope, desenvolvido pela empresa, é uma ferramenta que, após instalada, permite que o computador pessoal funcione como um telescópio virtual, reunindo imagens obtidas por observatórios e telescópios espaciais.

Para criar a nova experiência marciana, o grupo de Fay trabalhou em conjunto com o de Michael Broxton, do Centro de Pesquisa Ames, da Nasa, especializado na aplicação da visão computacional e do processamento de imagens à cartografia.

Para Broxton, divulgar ao grande público os resultados dos trabalhos dos cientistas da Nasa é uma parte importante da missão da agência. “A Nasa tem um histórico de oferecer acesso às imagens obtidas por suas missões. Por meio de projetos como o WWT, podemos disponibilizar um conteúdo mais amplo, de modo que futuras gerações de cientistas possam descobrir o espaço de novas formas”, disse Broxton.

Por meio do WWT-Mars Experience, o usuário pode passear por todo o planeta e, ao encontrar um ponto de interesse, aproximar a imagem até perceber detalhes na superfície marciana. Pode também admirar a altura das crateras ou a profundeza de seus muitos cânions. “É uma experiência que torna possível ao usuário sentir como se estivesse realmente lá”, disse Fay.

Das imagens, um destaque é o conjunto recém-processado pelo experimento HiRise, operado por pesquisadores da Universidade do Arizona e que consiste em uma câmera robotizada de altíssima resolução a bordo da sonda Mars Reconnaissance Orbiter. Cada imagem obtida pelo HiRise tem 1 gigapixel de resolução, ou cerca de 100 vezes mais informações do que uma foto feita por uma câmera digital comum.

Por conta do tamanho, abrir as imagens seria complicado para os usuários, mesmo com uma conexão de banda larga. E são mais de 13 mil imagens já produzidas pelo experimento, o que parece bastante, mas representa uma cobertura de apenas 1% da superfície marciana.

Os pesquisadores trabalharam com as imagens em alta resolução para criar um mapa integrado que permitisse uma navegação simples e rápida. O mapa resultante é o de maior resolução já produzido sobre Marte, o que o torna muito útil também a pesquisadores.

Para apresentar e explicar a nova experiência marciana, o site do WWT incluiu passeios interativos conduzidos pelos cientistas Carol Stoker e James Garvin, da Nasa.

Fonte: Estadão

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sugestões, Críticas ou Elogios.

Visitantes de todos os lugares

Fernando